Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O meu poema

O blog em que o sonho é o principal verso da vida. O ser humano na sua essência. Os sentimentos à flor da pele. O tudo e o nada.

O meu poema

O blog em que o sonho é o principal verso da vida. O ser humano na sua essência. Os sentimentos à flor da pele. O tudo e o nada.

Yes, we can!

 

Sim, nós somos Capazes! Sim, nós somos Mulheres!

Pode não valer de nada este grito de revolta, este protesto, esta voz que ecoa hoje por todo o mundo. Mas a coragem é imensurável. Vale. Vale pelo pulso firme e por tudo aquilo que queremos e vamos conquistar.

Esta não é uma marcha "das mulheres", é uma marcha pela igualdade e o respeito para com todos os seres humanos. Uma marcha pela dignidade e pelo anseio de vivermos num mundo melhor. Não vamos recuar. Não vamos dar passos para trás, o nosso caminho ainda não chegou a meio... Mas nós continuamos a saber qual é a nossa meta. E, acreditem... Somos muito persistentes! 

Esta é uma marcha pelas nossas gerações, mas também pelas gerações futuras.

É uma marcha pelo hoje e pelo amanhã. Pela certeza de queremos viver melhores dias, em qualquer parte do mundo.

Existem, efetivamente, imagens que valem mais do que mil palavras. E estas, hoje, emocionam-me. Porque somos isto! Somos mesmo isto!!

E acreditem, seremos sempre mais fortes porque, aconteça o que acontecer, hoje fica uma vez mais provado de que nós não desistiremos de lutar por nós e por um mundo melhor!

We can. We have. We will!

Obrigada, Mulheres!

 

 

Amálgama

 

     Extrato de chá verde impregnado na pele. Um carmesim desconcertante a figurar pelos dedos. Camisa em pendant com as calças de pinças azul comassie e o preenchimento das sobrancelhas outrora em desalinho.

    Custa ser-se assim tão impecável! Emprestar umas ondulações ao cabelo crespo, uns iluminadores à habitual pele esbatida, um brilho discreto ao cieiro do inverno.

     Custa escolher os tons, não confundir os padrões nem abusar da sensualidade ou do desarrumo propositado.

Mas o que custa igualmente é parecer que tudo aquilo é natural: o passo firme que ecoa pela rua, o som dos impetuosos quinze centímetros de altivez que se reproduz intermitentemente, a confiança de um desprezo ao piropo mal fingido, o queixo levantado de olhos postos no embaraço.

 

Mais sobre mim

Seguir perfil

A ler:

Calendário

Março 2017

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D