Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O meu poema

O blog em que o sonho é o principal verso da vida. O ser humano na sua essência. Os sentimentos à flor da pele. O tudo e o nada.

O meu poema

O blog em que o sonho é o principal verso da vida. O ser humano na sua essência. Os sentimentos à flor da pele. O tudo e o nada.

Yes, we can!

 

Sim, nós somos Capazes! Sim, nós somos Mulheres!

Pode não valer de nada este grito de revolta, este protesto, esta voz que ecoa hoje por todo o mundo. Mas a coragem é imensurável. Vale. Vale pelo pulso firme e por tudo aquilo que queremos e vamos conquistar.

Esta não é uma marcha "das mulheres", é uma marcha pela igualdade e o respeito para com todos os seres humanos. Uma marcha pela dignidade e pelo anseio de vivermos num mundo melhor. Não vamos recuar. Não vamos dar passos para trás, o nosso caminho ainda não chegou a meio... Mas nós continuamos a saber qual é a nossa meta. E, acreditem... Somos muito persistentes! 

Esta é uma marcha pelas nossas gerações, mas também pelas gerações futuras.

É uma marcha pelo hoje e pelo amanhã. Pela certeza de queremos viver melhores dias, em qualquer parte do mundo.

Existem, efetivamente, imagens que valem mais do que mil palavras. E estas, hoje, emocionam-me. Porque somos isto! Somos mesmo isto!!

E acreditem, seremos sempre mais fortes porque, aconteça o que acontecer, hoje fica uma vez mais provado de que nós não desistiremos de lutar por nós e por um mundo melhor!

We can. We have. We will!

Obrigada, Mulheres!

 

 

Página 366

 

O último dia do ano.

Há sempre muito para dizer. Fazemos os balanços e traçamos novas metas. Olhámos para trás e queremos muito, nesse instante, olhar para a frente. Sabemos os momentos que nos marcaram, mas sabemos também onde queremos ir. E é essa ideia que nos move.

Maravilhoso pensar em tantos outros dias para poder fazer mais, para poder fazer diferente, para aprender, para crescer, para viver…

Este ano, não escrevi sobre o que li nem sobre as músicas que escutei, nem tão pouco sobre os momentos mais especiais de 2016. Não escrevi porque fui escrevendo essa mesma história ao longo do tempo, ao longo de todos estes dias, durante todo este ano, na minha pele.

Envelheceu-me, 2016. Trouxe-me outra bagagem, ensinou-me muito!

 

 

Esquartejada

Vai longe o tempo em que a vida era feita de sonhos a desvendar.

Hoje, a história é outra e o café já não se bebe no encosto da janela com vista para o mar.

Trocamos promessas, trocamos sorrisos e alianças pelos dedos fora. Escrevemos poemas, bebemos do cálice a jura deste amor.

Já não te conheço, já não te entendo, já não te quero.

Elipse tua, analepse minha, presente sem cronologia elucidativa.

Enganei-me. Enganaste-me.

Não tenho bem a certeza.

O estanho sente-se a quebrar, a madeira em falha, os soluços em repressão.

Lábios em formatura até à convexão do riso altruísta, sonhador, visionário, perfeito de outrora.

Fomos dois corpos num só caminho que se fragmentou em pedaços inconsequentes de amor louco, varrido e sem ideias.

 

 

Os livros que devorei em 2015

Hoje, no último dia do ano, vou falar-vos um pouco das minhas leituras, dos meus hábitos e de como a leitura marcou e continua, dia após dia, a marcar tão positivamente a minha vida.

Este ano, infelizmente, não li um terço daquilo que gostaria de ter lido.

Foquei-me muito nos meus objetivos, em estudar para entrar na faculdade com uma boa média e, pelo que me parece, agora que aqui cheguei, concluo que estar na universidade nem sempre é sinónimo de ter a leitura em dia.

Confesso que ainda me sinto um bocadinho desorganizada sem saber como gerir o tempo e isso é, indubitavelmente, um grande problema e um grande obstáculo na gestão da minha vida, dos meus hobbys e das minhas obrigações.

 

Quando inicio um novo ano tenho por hábito estabelecer algumas “metas” ou, no fundo, escrever num papel alguns dos meus sonhos.

Geralmente, não me prendo muito a essa “lista”, vivo simplesmente a vida e deixo que as coisas aconteçam naturalmente.

Pelo que, de uma forma mais consciente, considero que essa "lista" é essencialmente o meu resumo do ano, aquilo que ainda me falta fazer, aquilo que quis e não fiz no ano anterior.

Um dos meus objetivos relaciona-se sempre com a leitura. Quero sempre ler, ler mais e ler melhor porque, para mim, isso é muito importante e penso que, inevitavelmente, o é para todos aqueles que gostam de se expressar através da escrita.

A leitura enriquece-nos de uma forma encantadora e molda a nossa personalidade. Torna-nos pessoas mais cultas, mais informadas e muito mais resolvidas.

E há uma variedade de estilos pelos quais se pode optar, desde os romances aos livros de culinária.

 

Uma das coisas que mais me deixa orgulhosa é o facto de ter gostado sempre de ler, desde muito pequena, e de ter sido sempre incentivada pelos meus pais.

Comecei a ler por vontade própria, por curiosidade e rapidamente me deixei envolver pelas palavras.

 

E, depois de tudo isto, vou então fazer jus ao título desta publicação e partilhar convosco o que li durante este ano.

 

 

 

Mais sobre mim

Seguir perfil

A ler:

Calendário

Março 2017

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D